Seminário de Cultura Material da Ciência

Out
26
Out/26 17:00 - Out/26 18:00
Em direto no YouTube do MUHNAC

A coleção de paleoinvertebrados do Museu Nacional do Rio de Janeiro: formação e trajetória.

Quando: 
Segunda, 26 Outubro, 2020 - 17:00 a 18:00
Onde: 
Em direto no YouTube do MUHNAC
Seminário de Cultura Material da Ciência, com Joana Lima, do CHAM-FCSH
Moderação: Catarina Madruga, MUHNAC-ULisboa | Vrije Universiteit Amsterdam
 
Nota Biográfica
Joana Lima nasceu em Lisboa, licenciou-se em Geologia, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL). O gosto e interesse pela área das humanidades conduziu-a à realização de uma pós-graduação, com a duração de um ano, em Comunicação Cultural (Universidade Católica Portuguesa, Lisboa). Essa experiência serviu de ponte ao ingresso no Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos, pelo ISCTE, que terminou em 2008 com a dissertação intitulada “A Génese do Museu de Neo-Realismo – de 1969 a 2007”.
No mesmo ano, iniciou a sua atividade profissional no Centro de Documentação da Fundação Portuguesa das Comunicações. A partir de 2010, participou como bolseira de investigação em diferentes projetos desenvolvidos na Universidade Nova de Lisboa, na Universidade dos Açores e na Universidade do Porto, tendo participado também no projeto Matemática do Planeta Terra 2013. Desde 2012 colabora com o Centro de Humanidades da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (CHAM-FCSH), no âmbito do projeto “Seminário Livre de História das Ideias”, no qual vem desenvolvendo o trabalho de indexação da edição eletrónica de revistas tais como a Sol Nascente, a Seara Nova e a Atlântida.
Em 2013 foi viver para o Rio de Janeiro, onde colaborou como bolseira (FAPERJ) no projeto “Conservação do Patrimônio Paleontológico Brasileiro: Inventário dos sítios fossilíferos da Formação Pimenteira”, analisando dados não publicados (cadernetas de campo, cartas, mapas e fotos) pelo paleontólogo Kenneth Edward Caster, da Universidade de Cincinnati (Ohio, EUA), que registam os diversos trabalhos de campo que ele realizou no Brasil na década de 1940.
Mais tarde, em 2015, ingressou no Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio (UNIRIO/MAST), onde pôde reunir o gosto e interesse geral pelas ciências naturais e sociais, à curiosidade que sempre teve pelos museus de História Natural. Foi assim que desenvolveu a sua tese em torno do estudo da coleção de paleoinvertebrados do Museu Nacional do Rio de Janeiro.
Uma vez concluído o doutorado, regressou à sua cidade natal, Lisboa, onde atualmente é investigadora responsável pela gestão documental do site Revistas de Ideias e Cultura (RIC), que disponibiliza as coleções das revistas dos movimentos culturais e políticos mais representativas da história portuguesa do século XX.
Em paralelo, continua a desenvolver produções relacionadas não só com a tese de doutorado mas também com o Patrimônio Paleontológico, inserido no âmbito mais geral do Patrimônio Cultural de Ciência e Tecnologia.
Recentemente recebeu o prémio CAPES de tese 2019, na área da Comunicação e Informação.