Programa Arte, Natureza e Ciência

PROGRAMA ARTE, NATUREZA E CIÊNCIA 
 

NADA SE PERDE, TUDO SE TRANSFORMA

Exposição da artista Beatriz Horta Correia

No seu trabalho a presença da natureza é quase uma constante. A Beatriz Horta Correia Investiga ideias e modos de representação e perceção, fundindo diferentes tipos de representação onde memórias e experiências vividas se cruzam. Muitas destas representações não têm uma ligação direta com a realidade, mas sim muitas vezes com a minha memória das mesmas.  A exposição é o trabalho que realizou a partir da sua visita que ao herbário do Museu, de passeios pelo jardim botânico e outros percursos por espaços de floresta e natureza.

Data: 8 julho a 1 agosto
Inauguração: 7 julho, 17h00 às 20h00

Preço: incluído no bilhete do Museu

Mais informações sobre a exposição aqui

 

DO JARDIM TROPICAL AO CARVÃO VEGETAL: O DESENHO NA LINHA DAS METAMORFOSES

Exposição da artista Christine Enrègle

a artista apresenta uma série de trabalhos desenhados a carvão vegetal realizados durante a residência da artista no museu, de 9 de setembro a 29 outubro 2021 no museu. A árvore Ficus macrophylla inspirou Christine Enrègle para realizar os seus desenhos. Exposição organizado no âmbito da Temporada Portugal-França

Data: 8 a 31 agosto
Inauguração: 28 abril, das 17h00 às 20h00

Local: Museu
Preço: incluído no bilhete do Museu

Mais informações sobre a exposição aqui

 

INCERTAE SEDIS

Exposição da artista Mariana Barrote

Projeto expositivo realizado a partir do cruzamento entre arte e ciência. Constrói-se de rumores despoletados pela presença dos objetos artísticos que contaminam e se deixam contaminar pelos objetos científicos e das coleções do Museu. Parte da investigação funda-se no gesto como fonte de invenção, e recorre ao desenho como catalisador dessa potência. Mas o desenho, que se desenrola noutros meios como o vídeo e a instalação, relaciona-se sempre com as coleções do MUHNAC. A construção do corpo de Incertae Sedis só é possível na relação simbiótica com o espaço museológico do MUHNAC, não em outras instituições artísticas. É a riqueza combinatória de objetos díspares, com a sua carga histórica, categórica e por vezes disruptiva, que permite o cruzamento de campos de conhecimento – o da arte e o da ciência –  e do reformular afinidades, diferenças e semelhanças, mas certamente transformando, trazendo um novo olhar sobre os mesmos. Um espaço como um ecossistema onde os objetos se tornam vivos, agentes de transformação.

 

Data: 4 a 28 de agosto
Inauguração: informação brevemente disponível

Local: Museu
Preço: incluído no bilhete do Museu

Mais informações sobre a exposição brevemente disponíveis.

 

ALGAY ODISSEY

Exposição de fotografia de Ana Kesseling

O projeto consiste numa série de fotografias intitulada Aquáticas Origens, tiradas a partir de algas recolhidas na Bretanha, no norte da França, moldadas e misturadas num corpo feminino.

Data: 2 de setembro a 2 de outubro
Inauguração: 1 de setembro, 17h00 às 20h00

Local: Museu
Preço: incluído no bilhete do Museu

Mais informações sobre a exposição aqui.

 

ÍNDICE - ITACOATIARA DO INGÁ

Exposição de João Lobo

Partindo do monumento ITACOATIARA ou “Pedra do Ingá”, cuja superfície possui gravuras pré-históricas, o artista JOÃO LOBO fotografou as formas esculpidas no monolítico numa percepção puramente artística de ÍNDICES pré-históricos.

Face ao convite do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa para celebrar com uma exposição artística os duzentos anos de independência do Brasil, o artista visual brasileiro aceitou a proposta e apresenta uma produção artística focada nas inscrições rupestres das Itacoatiaras do Ingá, localizadas no Estado da Paraíba, Brasil.

 

Data: 2 a 30 de setembro
Inauguração: 1 de setembro, 17h00 às 20h00

Local: Museu
Preço: incluído no bilhete do Museu

Mais informações sobre a exposição aqui.

 

 

Exposições com curadoria de Sofia Marçal.