Micrótomo

O objeto em destaque foi uma doação da família do Professor Fernando Portela-Gomes ao Museu

Proveniência: Doação da Família do Professor Fernando Portela-Gomes

Um micrótomo permite cortar segmentos de material biológico em espessuras muito finas para posterior observação ao microscópio. Este instrumento foi desenvolvido no século XVIII e as suas funcionalidades e aplicações foram sendo atualizadas ao longo dos anos, existindo hoje uma grande diversidade de modelos que permitem realizar cortes com espessuras muito inferiores à do cabelo humano. 

A Histologia – área que estuda os tecidos e as células a nível microscópico – muito beneficiou do desenvolvimento técnico associado aos micrótomos. O Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC) conserva vários destes instrumentos nas suas coleções, provenientes de diferentes áreas científicas tais como a Botânica, Zoologia e Medicina, anteriormente utilizados em centros de investigação e instituições da Universidade de Lisboa tais como a Faculdade de Ciências e a Faculdade de Medicina.

O objeto do mês foi recentemente incorporado nas coleções do MUHNAC e pertenceu a Fernando Portela-Gomes (1908-1975), médico e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Este micrótomo foi adquirido pela Companhia União Fabril (CUF) para ser usado no Centro de Medicina no Trabalho, Higiene Industrial e Medicina Desportiva fundado por Portela-Gomes em 1943, onde trabalhou até 1967. Sabe-se hoje que nesse Centro também era realizada investigação com técnicas histológicas de que foi exemplo o trabalho de Portela-Gomes, premiado com o 2º Prémio Pfizer 1958, para o qual produziu, analisou e comparou cortes histológicos de pulmões de animal, com o objetivo de estudar a influência do ambiente industrial na saúde dos operários.

 

English version