Fotografia

Exposição de José Cunhal

Quando: 
6 de Novembro de 2015 a 29 de Novembro de 2015
Onde: 

Sala Sacarrão | Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Fotografar significa desenhar com luz. Capturar a luz e a sombra de um instante temporal e de um espaço concretos.

Em muitos momentos, o que designamos como fotografia, centrou-se na documentação do mundo, da natureza e da sua memória.

Contudo- apesar de ser a arte que mais diretamente “fixa” a “realidade” - talvez permita, também, revelar o que sentimos estar “para além de todas as palavras”.

Talvez, as imagens fotográficas tenham o poder alquímico de, ao fixarem as sombras, revelarem a luz.

Com diz Leonard Cohen "há sempre uma fresta, em todas as coisas, por onde entra a luz"*

Nesta exposição, o trabalho fotográfico consiste em olhar para a natureza e procurar essa pequena fresta  pode sugerir: a impermanência, a beleza simples, as pedras, o curso da água, a imperfeição, os opostos, o silêncio, a irrelevância do tempo e do espaço, a serenidade, e principalmente o negro: o vazio de onde toda a vibração da luz parece fluir.

 

*COHEN, Leonard, ANTHEN: Ring the bells that still can ring; Forget your perfect offering; There is a crack in everything; That's how the light gets in

 

Nota Biográfica

José  Cunhal (1964) é fotógrafo,  tendo realizado a sua formação no Ar.co.

Os seus trabalhos procuram questionar a essência da fotografia e da natureza através da representação intuitiva de elementos e de objetos naturais, como a luz, a água, a pedra,  e a vida de alguns animais.

Exposição temporária