Crânios de carnívoros

No mês em que comemoramos a biodiversidade - 22 de maio - damos destaque aos crânios dos fascinantes carnívoros

Coleção: 

A relação entre o Homem e os carnívoros é conflituosa. Considerados nocivos, sofrem de uma constante perseguição, muitas vezes fruto de convicções infundadas. Mas são, também, animais que despertam curiosidade e admiração...

Afinal, quem são os carnívoros?!

São mamíferos de pequeno a grande porte. Marchadores ou corredores, ocupam uma grande variedade de ambientes terrestres. A maioria das espécies apresenta atividade noturna.

São animais adaptados à predação. Entre as características morfológicas marcantes encontramos fortes maxilas, caninos desenvolvidos e molares adaptados a rasgar a carne (dentes carniceiros).

Embora alimentando-se tipicamente de outros vertebrados, a maioria das espécies não possui um regime carnívoro exclusivo, sendo algumas omnívoras ou mesmo ocasionalmente frugívoras.

Estas são algumas das 14 espécies de carnívoros que ocorrem em Portugal:

A raposa (Vulpes vulpes) é um dos carnívoros mais abundantes e uma espécie cinegética. Alimenta-se de invertebrados, coelhos, lebres, roedores, aves e, em determinadas épocas do ano, de grandes quantidades de frutos.

O texugo (Meles meles) é mais frequente nas regiões do Centro e Sul. Embora apresente uma dentição típica de um carnívoro, tem um regime alimentar omnívoro, baseando a sua alimentação em invertebrados, frutos e raízes.

O sacarrabos (Herpestes ichneumon) é igualmente abundante e também uma espécie cinegética. Foi introduzido na Península Ibérica em tempos históricos.  Tem preferência por zonas de matagal alto e margens de linhas de água. Alimenta-se de pequenos mamíferos, insetos, crustáceos, peixes e anfíbios.

A geneta (Genetta genetta) ocupa uma grande variedade de ambientes terrestres e também foi introduzida na Península Ibérica pela ação do Homem. Tem um regime alimentar diversificado, mas dominado por pequenos roedores e aves. Também consome insetos, répteis e frutos (cultivados ou silvestres).

A doninha (Mustela nivalis) é o menor carnívoro europeu, com cerca de 20-30cm e 60-100g. Ocorre em abundância nos ambientes abertos, sobretudo terrenos agrícolas. Alimenta-se de roedores, pequenas aves, répteis, anfíbios e insetos.

Conheça mais sobre a conservação dos carnívoros na nossa exposição “Reis da Europa Selvagem - os últimos grandes carnívoros”.

 

English version