Fósseis da vértebra dorsal do dinossáurio gigante da Junqueira em exposição

Elementos fossilizados de uma vértebra dorsal de um enorme dinossáurio saurópode, escavados em 2015 na jazida da Junqueira, em Pombal, estão agora patentes ao público na Casa da Cultura de Santiago de Litém.

Foram apresentados no passado dia 24 de março, na Casa da Cultura de Santiago de Litém, os primeiros elementos fossilizados já completamente restaurados do material escavado em 2015 na jazida da Junqueira, em Santiago de Litém, Pombal e que se encontram atualmente depositados nas coleções de paleontologia do Museu Nacional de História Natura e da Ciência.

Estes elementos correspondem a uma vértebra dorsal, relativamente bem preservada de um enorme dinossáurio saurópode relacionado ao grupo dos titanossauriformes. Os saurópodes são dinossáurios herbívoros, quadrúpedes, com cauda e pescoço comprido e que podiam atingir tamanhos colossais, com mais de 20 metros de comprimento e várias toneladas de peso.

Na sequência de trabalhos agrícolas foram descobertos num terreno na localidade de Junqueira restos de vértebras da região dorsal de um destes dinossáurios, cujas dimensões sugerem a presença de um indivíduo com mais de 26 metros de comprimento, correspondendo a um dos maiores dinossáurios conhecido na Península Ibérica.

Os trabalhos de escavação na jazida da Junqueira foram levados a cabo por paleontólogos do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (Universidade de Lisboa) e do Grupo de Biologia Evolutiva da UNED de Madrid e contaram com o apoio das autoridades locais. A preparação e o restauro de parte dos fósseis recolhidos nesta jazida foram realizados no âmbito do curso de conservação e restauro da Faculdade de Belas Artes da Universidade Complutense de Madrid.